Mensagens populares

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

O MUNDO DE LENY VINAGRE: Os simbolos gays

O MUNDO DE LENY VINAGRE: Os simbolos gays

Os simbolos gays

Os 8 símbolos mais populares para as lésbicas

Símbolos lésbicos
Independentemente do local onde se vive, quer seja na China quer seja na Suíça, existem símbolos que são reconhecidos pelo seu significado. Alguns símbolos são mais internacionais do que outros, mas cada cultura tem o seu símbolo, nem que seja a sua bandeira nacional. As lésbicas também têm diversos símbolos, uns mais populares que outros, tendo significados próprios. Muitos foram criados na actualidade, outros têm origens muito mais antigas. Estes símbolos também estão associados a organizações que defendem os direitos dos homossexuais e bissexuais.

1. Bandeira arco-íris

Bandeira arco-íris

Esta é o símbolo gay mais popular dos dias de hoje. Foi criado pelo artista Gilbert Baker em San Francisco. Esta bandeira pode ser encontrada nas antigas culturas Africanas, Americanas e Gregas. O Gilbert Baker criou assim um símbolo que unisse todos os gays, e foi inicialmente usado na parada do orgulho gay de San Francisco. As cores significam a diversidade e a sua junção a tolerância. Cada cor específica simboliza um aspecto diferente da vida. O rosa significa a sexualidade, o vermelho significa a vida, o laranja simboliza a cura, o amarelo simboliza o sol, o verde simboliza a natureza, o azul simboliza a arte, a índigo simboliza a harmonia, o violeta simboliza o espírito. Todo este simbolismo das cores advém das lutas pelos direitos civis americanos e do movimento hippie. Depois da parada do orgulho gay de 1979, esta bandeira passou a ser reconhecida mundialmente. Esta bandeira acabou por ser oficialmente reconhecida e registada pelo Congresso Internacional dos Manufactores de Bandeiras.

2. Triângulo negro

Triângulo negro


O triângulo negro invertido é um dos símbolos mais reconhecidos pelas lésbicas. Este símbolo surgiu durante a segunda Guerra Mundial, quando os homossexuais eram perseguidos pelo regime Nazi. Muitas lésbicas foram mortas e levadas para campos de concentração sofrendo os horrores característicos desses locais. Os homens homossexuais foram castrados e aprisionados até à morte. Este triângulo era de uso obrigatório, não só em homossexuais, mas também em judeus, prisioneiros políticos e criminosos. Feministas, prostitutas e lésbicas eram obrigadas a usar este triângulo negro invertido. Na Alemanha, durante esta época, a mulher homossexual não era digna de viver entre as mulheres e os homens heterossexuais, pois não era considerada capaz de procriar, e de ter uma vida social como uma mulher heterossexual. Nos dias de hoje este símbolo é usado por lésbicas como um símbolo de luta pelos direitos e contra a discriminação.

3. Interligação feminina

Interligação feminina
Dois símbolos femininos interligados são uma das imagens mais populares de lésbicas. Este símbolo começou a ser utilizado nos anos 70, e hoje é muito usado em tudo o que tenha a ver com lésbicas, até mesmo em arte e em joalharia.

4. Triângulo rosa

Triângulo rosa

Tal como o triângulo negro, este símbolo advém da Alemanha da segunda Guerra Mundial, onde qualquer tipo de manifestação homossexual era proibida e punida. Este símbolo é usado nos dias de hoje para que não se esqueçam que os gays também foram vitimas dos horrores da Alemanha nazi e que a liberdade e direito à diferença é um bem essencial à vida humana.

5. O Labrys

Labrys


Desde os anos 70 que este símbolo é usado pelas lésbicas. Este machado era usualmente utilizado na região asiática, África e nas sociedades matriarcais europeias. Também é conhecido por ter sido usado pelas Amazonas: uma tribo de mulheres guerreiras e poderosas. O labrys é considerado um símbolo de força e de auto-suficiência. A antiga deusa da antiguidade Demeter era retratada com este símbolo nas mãos, e crê-se que existiam rituais de sexo lésbico associados a esta deusa. Muitas associações lésbicas usam este o labrys como símbolo de força e de batalha pelos seus direitos.

6. O Lambda

Lambda


Este símbolo, de origem grega, significa a liberdade e a libertação . Os gays associam o lambda à união. Este símbolo indica energia, tal como na física. O lambda foi declarado símbolo oficial gay desde 1974. Este símbolo é usado, quer por gays, quer por lésbicas.

7. Bandeira do orgulho bi

Bandeira do orgulho bi
Esta bandeira, embora seja menos conhecida que a bandeira do arco-íris, é conhecida como a bandeira dos bissexuais. A ideia desta bandeira surgiu do Michael Page em 1998. O seu objectivo foi tornar a comunidade bissexual mais respeitada e mais orgulhosa da sua existência. O azul significa as relações heterossexuais, o rosa as relações homossexuais e a púrpura significa a mistura das cores anteriores, ou seja as pessoas bissexuais.

8. Símbolo da bissexualidade

Símbolo da bissexualidade


Na Austrália este símbolo é usado para representar as relações bissexuais. É uma espécie de combinação do ying com o yang e com o símbolo masculino. Desde 1983 que este símbolo foi adoptado pelos bissexuais australianos e cada vez mais começa a ter uma dimensão internacional.

a tua primeira experiencia lesbica

Se vai experimentar sexo lésbico pela primeira vez é provável que esteja ansiosa e que esteja a pensar no que deve ou não deve fazer. Quer seja a primeira vez que vai experimentar fazer sexo, ou a primeira vez que vai experimentar sexo lésbico, na primeira vez é sempre normal que esteja nervosa. Perder a virgindade com alguém do mesmo sexo é muito conotado com mitos que podem ajudar a não estar verdadeiramente relaxada na sua experiencia.

Deixamos algumas dicas para a sua primeira experiencia lésbica.

1. Conheça o seu próprio corpo

Antes sequer de imaginar fazer sexo com alguém, é importantíssimo que se conheça a si mesma. Descubra o seu corpo, os locais que gosta de ser tocada, o que a excita; a masturbação é um grande passo para o sucesso de uma relação íntima com outra pessoa. Dispense tempo consigo mesma, toque-se e descubra o que a faz sentir nas nuvens. Desta forma, também irá descobrir onde deverá tocar na outra pessoa para a fazer sentir nas nuvens; de igual importância será o facto de saber transmitir à outra pessoa o que a faz sentir bem.

2. Esteja sóbria

Certamente quererá recordar-se do seu primeiro momento lésbico, e para tal é necessário senti-lo, com o nervoso miudinho associado, com o verdadeiro sentimento humano a brotar de si. Embora o álcool possa diminuir as inibições a verdade é que também diminui sensações e pode tornar momentos intensos em momentos banais.

3. Faça sexo seguro

As lésbicas também se preocupam com o sexo seguro! O HIV também se pode transmitir através de relações lésbicas, por isso deve ler sobre o assunto e ir preparada. Ainda que exista o mito de que as lésbicas não necessitam de sexo seguro, não passa disso mesmo, de um mito, que por vezes pode tornar-se no maior pesadelo de quem o ignora.

4. Seduza e fantasie

A fantasia é fundamental para a felicidade humana e para o sexo também... Se vai dormir com outra mulher a verdade é que já fantasiou com isso, portanto recorde-se e viva esse momento como a sua fantasia. Recorde-se dos seus pensamentos, é você que a seduz, ou é ela que a seduz a si? A verdade é quem tem de imaginar antes de o fazer.

5. Não exagere

Se pensa usar brinquedos sexuais deixe-os para as próximas vezes; na primeira vez é importante conhecer os corpos tocar e sentir; existirão muitas outras oportunidades para experimentar brinquedos, na primeira vez delicie-se com o contacto.

6. Relaxe

Demore o seu tempo, toque todo o corpo da sua parceira. Tocar e sentir é muito importante e claro é um óptimo método de sedução. Não vá logo a correr tocar no clítoris dela, seja comedida nesse toque; antes disso toque-lhe no restante corpo - há tanto corpo para ser sentido -, dispa-a lentamente, beije-lhe a parte de trás dos joelhos e o interior dos cotovelos, toque nos seus seios, toque na sua barriga toque-lhe nos sovacos, beije-lhe o pescoço, humedeça os dedos dela com a sua língua. Nua, deite o seu corpo em cima do dela, sinta o corpo dela em contacto com o seu. Existe muita coisa que podem fazer antes de se tocarem na área púbica, por isso apreciem-se mutuamente.

7. Comunique

Não tenha pudor em perguntar-lhe o que ela gosta, e o que a faz sentir excitada. Diga-lhe o que gostava que ela lhe fizesse; por vezes não tem de lhe dizer verbalmente pode simplesmente conduzir-lhe as mãos ou proporcionar o momento. A comunicação é o princípio fundamental numa relação sexual de sucesso.

8. Não tenha expectativas irrealistas

A sua primeira vez como amante de alguém deve ser usada para experienciar e para conhecer o corpo da outra mulher, bem como ela deve conhecer o seu. Por vezes quando se está a aprender, a química pode diminuir: um orgasmo pode não acontecer na primeira vez, mas é perfeitamente natural que isso aconteça. Toque experimente e seja sincera a comunicar o que deseja.

Os sitios das lesbicas ou gays

Uma das maneiras mais fáceis de conhecer outras lésbicas é em eventos rotulados gay e lésbicos. Se ficou solteira de novo, acabou de se mudar, ou acabou de se assumir como lésbica, poderá sentir-se meia perdida e não saber como encontrar mais mulheres lésbicas. Se não está inserida na comunidade é mais difícil saber onde poderá encontrar outras lésbicas ou mulheres bissexuais. Se é um pouco tímida, ou não vive num grande centro urbano, aonde é que deve ir? Deixamos algumas ideias para conhecer outras lésbicas ou mulheres bissexuais.

Bar lésbico ou amigo de gays

Os bares dedicados a mulheres lésbicas começam a emergir no nosso panorama, mas também existem os bares gays ou amigos dos gays onde qualquer homossexual é bem-vindo e à partida poderá conhecer outras pessoas, não se sentindo inibido pelo facto de não saber se a pessoa é gay ou não. Por vezes esses locais promovem festas especiais onde pode sempre conviver, divertir-se e quem sabe... encontrar a sua cara-metade num momento de festa?

Associações lésbicas ou gays

As associações lésbicas ou gays são óptimas para a ajudarem a reclamar os seus direitos e são locais privilegiados para a ajudar a conhecer pessoas com a mesma orientação sexual que a sua. As associações tem não só grupos de suporte, tem também grupos culturais, políticos e recreativos, nos quais pode participar acabando por conhecer outras pessoas.
Exclusivamente Lésbicas:
Lésbicas e não só:

Livrarias amigas de gays

Existem livrarias “amigas de gays” mais direccionadas para a cultura gay, que organizam tertúlias ou sessões de leituras muito interessantes se tiver uma veia mais erudita. Nesta situação pelo menos saberá que a probabilidade de encontrar alguém com os mesmos interesses é muito maior. Temos como exmplo a livraria lisboeta "A Esquina Cor de Rosa".

Através de amigos

Se os seus amigos souberem que é lésbica e que procura uma companheira eles irão certamente ajudar. Nada como bons amigos “casamenteiros” para ajudar a conhecer possíveis companheiras. Há sempre um amigo que tem uma amiga, que conhece outra... e logo que conheça uma ou duas lésbicas com quem possa só fazer amizade, estas conhecerão outras e a sua rede de contactos irá aumentar a partir dai.

Na internet

Pode sempre frequentar um local na internet dedicado não só a conhecer mulheres lésbicas mas também só para possíveis amigas. Existem chats, fóruns, locais de encontro on-line dedicados especialmente à comunidade lésbica. Mas o ideal será começar por procurar mulheres amigas, e depois quem sabe transformar essas amizades em algo mais especial…

No café local

Em quase todas as cidades existe um ou mais cafés que se sabe serem mais frequentados por gays e lésbicas. Frequente esse café, nem que no início vá só com os seus amigos, poderá sempre aparecer oportunidade para um olhar mais atencioso.

Bares

O ideal é um bar para lésbicas, mas nem sempre há um bar local especial para lésbicas, e também não tem de existir um. A realidade é que poderá sempre ir aos bares locais heterossexuais e quem sabe se não desenvolve o seu radar lésbico? Olhe à sua volta, não existe só você sendo lésbica. As outras mulheres lésbicas também andam por ai - pelo menos 20% da população feminina – só lhe resta apurar o seu radar lésbico e conseguir detectá-las. Mantenha-se atenta a festas ou a eventos que saiba que outras lésbicas poderão frequentar. Se conhecer alguém e tiver dúvidas relativas à orientação sexual dessa pessoa, introduza assuntos como o casamento gay, a adopção por gays, etc., verificando logo a tolerância dessa pessoa para com o universo homossexual.
http://www.privillegebar.com/
http://www.algarvegay.com/bestofbar/

Viagens

Se gosta de viajar, saiba que existem locais especialmente indicados para passar férias entre lésbicas; ou seja pode escolher passar férias num local cheio de mulheres e sem constrangimentos relativos à sua sexualidade. Pode dar uma vista de olhos numa agência especializada em viagens gays como: http://www.rainbowpoint.pt/ . Pode optar por um safari no Quénia ou num cruzeiro em alto-mar, o que quer que escolha é certo conhecer mais lésbicas que também gostam de viajar. Pode ver mais em: http://worldwidegaytravel.com/ .